Noruega

A Noruega é um país nórdico situado na Escandinávia que faz fronteira na maior parte da sua extensão com a Suécia e no seu território mais a norte também com a Finlândia e a Rússia. Na Noruega fica o Cabo Norte, o ponto mais a norte do território continental europeu a cerca de 71º N. A Noruega tem uma população de cerca de 5 milhões de habitantes e uma superfície de 385.155 km2. A Noruega é uma monarquia constitucional onde se fala norueguês e tem como capital Oslo. Outras cidades importantes são Bergen, Stavanger, Tronheim e Alesund.

Bergen é a segunda maior cidade da Noruega com uma população de cerca de 400 mil habitantes. A cidade fica situada no Byfjorden, o “fiorde da cidade”, e é rodeada por 7 montanhas. Bergen pertenceu à Liga Hanseática de comércio desde o século XIII e por isso dominou o comércio da Noruega com o exterior até 1830 sendo a maior cidade até então e até ser ultrapassada por Christiania, a actual Oslo. O símbolo dos tempos áureos da Liga Hanseática são hoje em dia os cais Bryggen listados como Património Mundial pela UNESCO.

Alesund é umas das 10 maiores cidades da Noruega e tem uma população de cerca de 50 mil habitantes. Além de ficar num belíssimo enquadramento de ilhas, fiordes e montanhas, Alesund é conhecida por ser um museu aberto de arquitectura Art Nouveau que foi desenvolvida no início do século XX. A cidade espalha-se por várias ilhas, tendo duas principais delas sido ligadas por um túnel submarino de 3481 m.
Entre as principais atracções visitadas pelos turistas incluem-se a Igreja de Alesund, os edifícios e o Centro Art Nouveau, o Museu das Pescas, o Porto de Alesund com os seus edifícios coloridos junto ao canal Alesundet, o Aquário de Alesund e o “must” que é subir os 418 degraus ao topo do Monte Aksla que faz parte do Parque da Cidade de Alesund e oferece uma vista panorâmico incrível sobre a cidade e todo conjunto de ilhas e montanhas da região.

Geirangerfjord é o mais turístico dos fiordes noruegueses devido à sua paisagem impressionante em passagens estreitas na navegação. É uma ramificação de 15 km do Sunnylvsfjorden que é também uma ramificação do Storfjorden (o grande fiorde). Geiranger é a localidade que fica no final do fiorde e é actualmente um dos maiores destinos turistícos da Noruega. Numa das estreitas passagens do fiorde fica a cascata impressionante das Sete Irmãs. Entre os passeios que se podem fazer por estrada em Geiranger destacam-se o passeio a Dalsnibba e outro a Eidsdal. Dalsnibba é uma montanha de 1476 m que, com bom tempo, oferece uma vista fantástica de Geiranger e do Fiorde. Ainda assim tem neve frequentemente mesmo no Verão. Eidsdal é conhecida como a “estrada da águia” e tem também um miradouro com uma vista lindíssima do Fiorde.

Eidfjord é uma pequena localidade que fica na extremidade do Fiorde com o mesmo nome e que é uma ramificação do Hardangerfjord. Nas montanhas que rodeiam EIdfjord fica um dos maiores plateaus de montanha, o Hardangervidda. Com pouco tempo na localidade, há um trilho que vai do centro e passa pelo Lago Eidfjordvatnet e sobe para o bonito plateau Hereidsvegen de onde se pode avistar a localidade e o Fiorde de um ponto alto.


Geografia

A Noruega é o país mais desenvolvido do mundo em vários rankings, oferecendo aos seus cidadãos um modelo social de protecção universal bem como saúde e educação gratuitas. A Noruega não pertence à União Europeia por decisão do seu povo, mantendo apesar de tudo boas relações económicas com os países membros.
O terreno glacial da Noruega é formado na maior parte por planaltos altos e montanhas dramáticas, através dos quais aparecem vales férteis, tem pequenas e irregulares planícies, a linha costeira bastante recortada por fiordes e tundra ao norte. Na orla costeira formada pelos famosos fiordes existem 150.000 ilhas. 
A religião tem um papel pouco importante na vida dos noruegueses. Ainda assim os crentes na Noruega pertencem maioritariamente à Igreja da Noruega, uma igreja cristã protestante de confissão luterana.

História

A Era Viking foi o período entre os anos 800 e 1050 depois de Cristo. No início, a Noruega não era um país mas um conjunto de territórios cada um com o seu Rei. No ano de 872, o líder Viking Harald Hårfagre foi proclamado Rei da Noruega. Foram muitos os Vikings que viajaram para outros países. Alguns eram comerciantes que compravam e vendiam mercadorias, outros eram guerreiros que pilhavam e massacravam. O Cristianismo foi introduzido na Noruega no século XI e substituiu o antigo culto dos Deuses nórdicos. 

No decorrer do século XIV a Dinamarca exerceu cada vez mais influência sobre a Noruega e a partir de 1397 a Noruega tornou-se um membro oficial da União com a Dinamarca e a Suécia que tinha um Rei comum. A Suécia afastou-se gradualmente dessa União, mas entre a Dinamarca e a Noruega a União prevaleceu até 1814. Copenhaga era o centro administrativo e cultural da União e os noruegueses usavam a língua dinamarquesa.

O ano de1814 é um ano importante na história da Noruega. Aos 17 de Maio deste ano a Noruega obteve a sua própria Constituição. No início do século XIX houve várias guerras na Europa. Uma delas foi a guerra entre a Inglaterra e a França. A União Dinamarca –Noruega era aliada da França e ficando a França derrotada o Rei Dinamarquês foi obrigado a conceder a Noruega à Suécia que tinha estado em aliança com a Inglaterra. A união entre a Dinamarca e a Noruega foi dissolvida em 1814. Após a dissolução da união, havia um grande desejo de independência entre os noruegueses. Um grupo de cidadãos poderosos reuniu-se em Eidsvoll no distrito de Akershus com o objectivo de elaborar a Constituição para uma Noruega independente. No entanto, o país foi obrigado a uma união com a Suécia que foi instituída em Novembro de 1814. A união com a Suécia não era tão rígida como a anterior com a Dinamarca. A Noruega manteve a sua própria Constituição com algumas alterações e obteve também autonomia política interna. A política externa era dirigida pela Suécia e o Rei de ambos países era sueco.

Em meados do século XIX desenvolveu-se na Europa um movimento de arte e cultura denominado o Nacionalismo Romântico. O Nacionalismo Romântico era caracterizado pelo realce, engrandecimento e embelezamento das peculiaridades nacionais. Os norueguêses tornaram-se mais conscientes da sua identidade nacional nessa época desenvolvendo assim o orgulho de ser norueguês. Isto resultou no desejo de ascender à independência. Após vários séculos de união com a Dinamarca a língua dinamarquêsa era a língua escrita. A actual língua escrita “bokmål” é desenvolvida a partir do dinamarquês. Na época de Nacionalismo Romântico havia a opinião de que os norueguêses deveriam ter uma própria língua escrita sem influências do dinamarquês. Por isso,o filólogo Ivar Aasen (1813-1896) viajou por muitos cantos do país recolhendo elementos de diferentes dialectos. Dessa recolha criou uma nova língua escrita, o “nynorsk”. Tanto o “nynorsk” como o “bokmål” sofreram alterações desde do século XIX. Contudo, a Noruega mantém duas línguas oficiais e também a língua sami e a língua kven.

Em meados do século XIX, setenta por cento da população norueguesa vivia em zonas rurais. Viviam na sua maioria da agricultura e da pesca e a vida era difícil para muitos. A população aumentou e não havia campos de cultivo ou trabalho suficiente para todos. Ao mesmo tempo surgiram mudanças nas cidades. Construiu-se mais fábricas, muitas pessoas mudaram-se dos meios rurais para as cidades à procura de trabalho. A vida na cidade era difícil para muitas famílias operárias. O horário de trabalho era longo e as condições de habitação eram péssimas. As famílias tinham muitos filhos e era habitual que muitas famílias vivessem juntos num pequeno apartamento. Muitas crianças eram também obrigadas a trabalhar nas fábricas para que a família sobrevivesse. Muitos aventuraram-se no estrangeiro e, no período entre 1850 e 1920, emigraram mais de 800000 noruegueses para a América.

Em 1905 foi dissolvida a União com a Suécia. Por longo tempo tinham havido divergências entre a Assembleia Nacional Norueguêsa e o Rei na Suécia. No princípio do século XX havia uma maioria que alegava a ideia de que a Noruega deveria ser livre e independente. Aos 7 de Junho de 1905, a Assembleia Nacional declarou que o Rei Sueco já não era Rei da Noruega e, consequentemente, a União com a Suécia foi dissolvida. As reacções da Suécia foram violentas dando quase origem a uma guerra entre os dois países. Através de dois referendos feitos no mesmo ano, a dissolução da União foi confirmada e determinou-se que o novo estado, a Noruega, seria uma Monarquia. O príncipe dinamarquês Carl foi proclamado o novo Rei da Noruega. Ele adoptou o título de Rei Haakon. O Rei Haakon VII reinou a Noruega de 1905 até à sua morte em 1957.

Entre os anos de 1914 e 1918 ocorreu a Primeira Guerra Mundial. Apesar da Noruega não ter uma posição activa nesta guerra, fizeram-se sentir consequências económicas. Nos anos trinta surgiu a crise económica na Europa e na América do Norte. Pessoas perderam emprego e habitações. 

A Segunda Guerra Mundial começou em Setembro de 1939 quando a Alemanha invadiu a Polónia. A Noruega foi ocupada por tropas alemãs aos 9 de Abril de 1940. O confronto com as tropas alemãs duraram alguns dias mas a Noruega acabou por capitular. O Rei e o Governo refugiaram-se em Inglaterra deonde continuaram a luta por uma Noruega livre. A Noruega foi então governada por Vidkun Quisling com um governo pró-Alemanha e que não foi eleito de forma democrática. 

Depois da guerra os Estados Unidos da América ofereceram ajuda económica aos países europeus. Esta ajuda económica ficou conhecida como o Plano Marshall. O plano impunha condições económicas e políticas aos países beneficiários. A Noruega recebeu ajuda num montante de três bilhões de coroas. Em 1949 a Noruega assinou juntamente com onze países o tratado do Atlântico Norte. Este tratado conduziu à criação da Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN). Esta relação estreita entre países da Europa Ocidental e os Estados Unidos mantém-se. Nas décadas de 1950 e 1960 a economia norueguêsa era relativamente boa e o estado introduziu muitas reformas que criaram benefícios aos cidadãos. Na década de 1960 várias companhias interessaram-se em explorar petróleo e gás no litoral da Noruega. Pela primeira vez, em 1969, foi descoberto petróleo no Mar do Norte e daí a Noruega tornou-se uma nação petrolífera. Actualmente a Noruega é um dos países que exporta mais petróleo e a indústria petrolífera tem um enorme significado na economia norueguesa tendo os noruegueses aproveitado a riqueza gerada pelo petróleo para manter um desenvolvimento humano excepcional e ainda arrecadar em fundos para as futuras gerações.

 

Comentários

O seu endereço de email não será publicado.