Montenegro

Montenegro é uma pequena e montanhosa república situada nos Balcãs, fazendo fronteira com a Albânia, Kosovo, Bósnia e Herzegovina, Croácia e Sérvia. A sua capital é Podgorica.

Entre 1945 e 1991 e e desde então até 2003 foi uma das repúblicas constituintes da República Socialista da Jugoslávia e da República Federal da Jugoslávia, respectivamente; desde então e até Junho de 2006, foi uma das duas repúblicas que integraram o Estado da Sérvia e Montenegro. Actualmente, Montenegro está em pré-negociação para entrar na União Europeia.

Kotor é uma cidade e porto natural de grande beleza situada na Baía de Kotor. Tem cerca de 13000 habitantes. A região de Kotor é famosa pelos seus fiordes, únicos no Mediterrâneo, rodeados pelas bonitas montanhas de Orjen e Lovcen, tornam a paisagem numa beleza impressionante. Nos últimos tempos o turismo tem aumentado exponencialmente e também passou a ficar na rota dos navios de cruzeiro. A cidade fortificada, património da Humanidade, foi construída no período Veneziano, entre 1420 e 1797, tendo influenciado a arquitectura da cidade. Alguns dos pontos de maior interesse turístico são a Catedarl de Saint Tryphon e as muralhas antigas da cidade com uma extensão de 4,5 km. Gospa od Škrpijela (Nossa Senhora das Rochas) é uma ilha artificial em frente a Perast que tem uma bonita igreja católica construída em 1632. Perast é uma pequena vila na Baía de Kotor cujo enquadramento na paisagem montanhosa a torna num cartão postal autêntico.

Budva é uma cidade costeira com praias fantásticas que atraem inúmeros veraneantes (cerca de 500 mil no Verão) e por isso é a maior atracção turística do Montenegro. As praias são também conhecidas como a Riviera de Budva. A cidade antiga de Budva, à semelhança de Kotor, também foi construída no período Veneziano. As três igrejas mais importantes na cidade antiga são St. Ivan, St. Mary e Holy Trinity. Algumas das praias mais conhecidas são Mogren (perto da cidade antiga), Ricardova glava, Pizana e Slovenska plaa. Budva é ainda conhecida por ter uma grande concentração de milionários, maioritariamente russos.


Geografia

O relevo montenegrino varia de altos picos montanhosos nas fronteiras com Albânia e Sérvia, até uma estreita faixa plana no litoral. A parte plana transforma-se abruptamente nas montanhas presentes à beira da Baía de Kotor como o Monte Lovcen e o Monte Orjen. A principal região de Carste em Montenegro alcança em média elevações de 1000 metros acima da linha do nível do mar; entretanto, em algumas partes, chegam bem próximos de 2000 metros, como o Monte Orjen (1.894 m), o maior maciço entre a cadeia de montanhas da costa montenegrina. O vale do Rio Zeta, possui o mais baixo segmento, alcançando cerca de 500 metros.

As montanhas de Montenegro incluem algumas das áreas mais acidentadas na Europa. Elas possuem média superior a 2.000 metros em elevação. Um dos cumes mais carcterísticos é o Bobotov Kuk nas montanhas Durmitor, cuja altura chega a 2.522 metros. A cadeia de montanhas dessa região foi uma das mais erodidas na Península Balkanica durante o último período glacial.

Montenegro tem 43% de montenegrinos, 32% de sérvios, 8% de bósnios e outras pequenas percentagens de albaneses, muçulmanos, croatas e ciganos. O estatuto dos montenegrinos enquanto grupo étnico diferenciado dos sérvios é matéria de controvérsia entre os especialistas.

De acordo com a Constituição de Montenegro, a língua oficial é o sérvio.

Quanto à religião, em 2003 77,7% dos montenegrinos declararam-se cristãos, na sua maioria seguidores da Igreja Ortodoxa, seguindo-se a comunidade muçulmana (17,7%) e os seguidores da Igreja Católica (3,5%).

História

Durante muito tempo, o Montenegro constituiu um principado autónomo face ao poder hegemónico que o Império Otomano exercia nos Balcãs. A sua independência foi formalmente reconhecida pelo Tratado de Berlim de 1878 (que também reconheceu a independência da Bulgária, Roménia e da vizinha Sérvia).

Em 1910, o príncipe Nicolau proclamou-se rei. No entanto, o reino do Montenegro existiu durante apenas oito anos. Com o fim da Primeira Guerra Mundial, o Montenegro foi integrado no Reino dos Sérvios, Croatas e Eslovenos (não havendo no nome do estado qualquer referência aos montenegrinos, assim como aos Bósnios ou Macedónios), o qual se tornou em 1929 o Reino da Jugoslávia.

Durante a Segunda Guerra Mundial, os guerrilheiros de Titoprocuraram refúgio nas suas montanhas, e quando em 1944 a região foi libertada, o Montenegro tornou-se uma das seis repúblicas constituintes da República Socialista da Jugoslávia. Com o fim desta entidade no início da década de 1990, quatro das repúblicas secederam e tornaram-se independentes; somente a Sérvia e o Montenegro lhe deram continuidade, formando a nova República Federal da Jugoslávia, governada por Slobodan Milosevic, e com um grande predomínio da entidade sérvia dentro da federação.

Em 1992, no último referendo ocorrido para discutir a união com a Sérvia, cerca de 96% dos votos foram favoráveis a essa alternativa, ainda que apenas 66% da população tenha ido às urnas (as minorias muçulmana e católica, assim como alguns montenegrinos que não se reviam nessa união, boicotaram o referendo). De notar também que as condições de voto eram desiguais e injustas, tendo havido mesmo pessoas que votaram nas ruas. No entanto, desde então muitas coisas mudaram, e hoje a cena política montenegrina é significativamente diferente. Desde 1996 que o governo de Milo Dukanovic isolou de facto o Montenegro da Sérvia em vários aspectos. O Montenegro desenvolveu uma política económica independente da sérvia, e trocou o dinar pelo marco alemão; actualmente, usa como moeda o euro, ainda que a república não esteja integrada nem na União Europeia nem na Zona Euro.

Em 2002 a Sérvia e o Montenegro assinaram um novo acordo no tocante à cooperação dentro da federação. No ano seguinte, com o patrocínio da União Europeia a Jugoslávia desapareceu formalmente dos mapas e deu lugar a um nova entidade chamada Sérvia e Montenegro, com o projeto de o Montenegro realizar um referendo sobre a independência até 2006. Em 2004, o parlamento montenegrino adoptou uma nova bandeira, hino e dia nacional, como parte do programa de crescente independentização face à Sérvia. A nova bandeira é idêntica à do antigo Reino do Montenegro, vermelha com uma bordadura de amarelo, e carregada ao centro com as armas de Nicolau I. O Montenegro realizou um referendo no dia 21 de Maio de 2006 para determinar se se tornaria um estado independente ou se continuaria a fazer parte da actual união com a Sérvia. A independência do Montenegro saiu vencedora por 55,5% dos votos, 0,5% acima do limite mínimo exigido pela União Europeia para reconhecer o novo estado. No dia 3 de junho de 2006, Montenegro declarou a sua independência da Sérvia e no dia 5 de Junho, a Sérvia declarou independência, pondo fim ao ex-estado europeu da Sérvia e Montenegro.

Comentários

O seu endereço de email não será publicado.