Itália / Lazio

Lazio é uma região de Itália com cerca de 5 milhões de habitantes e 17203 km2 onde fica Roma. O Lazio estende-se da cordilheira dos Apennos, espinha dorsal da Península Itálica, ao Mar Tirreno. Seu nome, originalmente Latium, remete aos latinos, povo do qual os romanos descendem e cujo idioma, o latim, tornou-se a língua formal do Império Romano, tendo sido amplamente difundido nos territórios sob o seu domínio. De enorme importância histórica e cultural, foi o local onde Roma foi fundada, acredita-se que no século VIII a.C.

Roma é a capital do país e conta com 2,7 milhões de habitantes. A área urbana de Roma estende-se além dos limites administrativos da cidade com uma população de cerca de 3,8 milhões. A cidade está localizada na região centro-ocidental da península itálica, cortada pelo Rio Tibre, dentro do Lazio. A história de Roma abrange mais de 2500 anos, desde a sua fundação lendária em 753 a.C. Roma é uma das mais antigas cidades continuamente ocupadas na Europa e é conhecida como “A Cidade Eterna”, uma ideia expressa por poetas escritores da Roma Antiga. Roma, actualmente é um dos destinos turísticos mais importantes do mundo, devido à imensidão incalculável de seus tesouros arqueológicos e artísticos. Pode distribuir-se os seus marcos turísticos mais importantes por 3 zonas da cidade: a zona que vai desde o Termini até à Via del Corso, a zona mais antiga da cidade na margem oriental do Rio Tibre e a margem ocidental do Rio onde fica o Vaticano. Na primeira, destaca-se a Basílica de Santa Maria Maggiore junto à Via Cavour, a Piazza de Espagna, a Fontana di Trevi, a Via del Corso até à Piazza del Popolo. Mais para sul ainda nesta zona mais vasta, salienta-se o Monumento a Vittorio Emanuele II, um grande monumento neo-clássico já inaugurado no século XX em homenagem ao primeiro Rei da Itália unificada, e a Via del Fori Imperialli que leva ao Coliseu. O Coliseu foi erguido entre 70 e 90 d.c. por ordem de Vespasiano com o objectivo de albergar 50000 pessoas. Do Coliseu passa-se pelo Arco de Constantino para aceder ao Fórum Romano e ao Circo Massimo. Caminhando pelo Corso Vittorio Emanuele II chega-se à zona mais antiga da cidade na margem do Rio Tibre. Aqui destacam-se a central Piazza Navona e todas as ruas e ruelas antigas em seu redor, bem como algumas igrejas que são verdadeiras jóias do Renascimento como a Igreja de Jesus, Igreja de Minerva, Igreja de Sant’Agnes in Agone. O Panteão é o único edifício construído na época romana que actualmente se encontra em perfeito estado de conservação. Desde que foi construído que se manteve em uso: primeiro como templo dedicado a todos os deuses do panteão romano e, desde o século VII, como templo cristão. É famoso pela sua cúpula. O Panteão original foi construído em 27 a.c. durante o terceiro consulado de Marco Agripa. Efectivamente, o seu nome está inscrito sobre o pórtico do edifício. Desde o Renascimento que o Panteão é utilizado como última morada de personalidades italianas ilustres, como o pintor Rafael e dois reis de Itália: Vitor Emanuel II e Humberto I. Por fim, no Vaticano temos a famosa Praça de São Pedro e a Basílica de São Pedro. Esta última trata-se do maior e mais importante edifício religioso do catolicismoe um dos locais cristãos mais visitados do mundo. Cobre uma área de 23 000 m2 e pode albergar mais de 60 mil devotos. A sua construção recebeu contribuições de alguns dos maiores artistas da história da humanidade, tais como Bramante, Miguel Ângelo, Rafael e Bernini. Foi provado que sob o altar da basílica está enterrado São Pedro, o primeiro Papa. Por esta razão, muitos Papas, começando com os primeiros, têm sido enterrados neste local. A construção do atual edifício começou em 1506 e foi concluída em 1626, sendo consagrada imediatamente pelo Papa Urbano VIII. No Museu do Vaticano, além de vastas galerias de arte que conservam o acervo Papal de toda a história, fica a famosa Capela Sistina situada no Palácio Apostólico, inspirada no Templo de Salomão do Antigo Testamento com frescos de Miguel ângelo, Rafael, Bernini e Botticelli. A capela tem o seu nome em homenagem ao Papa Sisto IV, que restaurou a antiga Capela Magna, entre em 1480. Hoje é o local onde se realiza o conclave, o processo pelo qual um novo Papa é escolhido.

Abruzo é uma região de Itália central com cerca de 1,3 milhões de habitantes. A capital é Águila e seu ponto mais alto é o Gran Sasso com 2913 metros de altura no coração dos Apeninos, a cordilheira que atravessa Itália de norte a sul.

Áquila é a capital da região e encontra-se circundada de vários montes, entre os quais também o Gran Sasso, nos Apeninos. A região atrai no verão turistas amantes do excursionismo ou somente em busca de um pouco de ar fresco e no inverno, amantes da neve ou praticantes de esqui.

Comentários

O seu endereço de email não será publicado.