Eslováquia

A Eslováquia tornou-se numa nação independente em 1 de Janeiro de 1993, após a divisão pacífica da Checoeslováquia na sequência do fim da Guerra Fria e da queda do Muro de Berlim.

A Eslováquia ocupa uma superfície de 49.036 km2 e tem uma população de 5.380.000 habitantes. A capital é Bratislava. A língua oficial é eslovaco e a moeda é a coroa eslovaca, pelo menos até à integração no Euro.

O Rio Danúbio é um factor fundamental na sua passagem pela capital Bratislava.

Bratislava é a capital e maior cidade da Eslováquia com 430.000 habitantes. Foi fundada antes do século X como Pressburg, nome pelo qual foi conhecida até 1919 quando se formou a Checoeslováquia.
Bratislava fica junto ao Rio Danúbio, mesmo na fronteira com a Áustria. Também a fronteira com a Hungria fica a apenas 16 km. Bratislava viveu o seu auge entre os séculos XVI e XVIII quando esteve sob o domínio húngaro. Dessa época existem ainda muitos monumentos, a destacar sobretudo os palácios e museus na cidade antiga e o castelo. A praça Hviezdoslavovo námestie é um ponto central da cidade, com o centro histórico a norte, o Danúbio a sul e o Castelo a oeste. A torre Michalská é o ex-libris da cidade, no coração do centro histórico.

Bratislava fica situada na parte ocidental da Eslováquia, mesmo junto à fronteira com a Áustria. Como tal beneficia já da excelente rede rodo-ferroviária da Europa Central. Na ligação a leste, existem já boas auto-estradas na Eslováquia e República Checa e Polónia. No futuro o país vai beneficiar de grandes investimentos em infra-estruturas com a adesão à União Europeia. Bratislava fica a 73 kms de Viena, 333 kms de Praga e 194 kms de Budapeste.
Como capital europeia que passou a ser, Bratislava tem um pequeno aeroporto com alguns vôos na Europa. A cidade fica a apenas uma hora do grande aeroporto internacional de Viena.


Geografia

O país é montanhoso e as estâncias de Inverno nas Montanhas Ore e Carpathian estão a crescer em popularidade. Além do turismo, também a agricultura e a industria são actividades essenciais.

O território é dominado pelas Montanhas Ore na região central e pelas Carpathian na fronteira norte com a República Checa e Polónia. O pico mais elevado do país é o Monte Gerlachovsky Stit com 2.655 m, nos Cárpatos.

História

Século VII – Os eslovacos expulsam os Celtas que habitavam o espaço do seu actual território.

Século IX – A Eslováquia passa a fazer parte da Grande Morávia, que inclui áreas que pertencem actualmente à Polónia, Hungria e República Checa. O Império Morávio desfez-se no século X e os eslovacos são subjugados pelos húngaros.

Em 1536, são integrados no Império Romano-Germânico, governado pelos Habsburgos, que se transforma posteriormente no Império Austro-Húngaro.

1918 – A derrota do Império Austro-Húngaro na Primeira Guerra Mundial (1914/18) possibilitou a declaração de independência dos eslavos e checos, que se unem em 1918 para formar a Checoslováquia. A Constituição do novo Estado não contemplava, no entanto, a proposta dos eslovacos de um Estado Federal que lhes salvaguardasse a autonomia eslovaca.

1938 – Em Outubro, quando o acordo de Munique cede à Alemanha as áreas da Checoslováquia de população alemã (os Sudetas), os nacionalistas eslovacos proclamam um Governo autónomo, com sede em Bratislava.

1939 – em Março, a Alemanha invade as regiões checas. A Eslováquia forma então um país separado, sob a tutela alemã e com um regime pró-nazi, chefiado pelo bispo católico Josef Tiso.

1945 – Com a derrota nazista da II Guerra Mundial, o exército soviético, incluindo contingentes checoslovacos, liberta o País. Os eslovacos concordam então em recriar a Checoslováquia com base na absoluta igualdade entre os dois povos.

1948 – Com os comunistas no poder, a Eslováquia volta a ser submetida a um Estado centralizado sob a hegemonia checa e, a partir daí, torna-se um estado-satélite de Moscovo.

1955 – A Checoslováquia torna-se membro do Pacto de Varsóvia. O regime comunista silencia as reivindicações de autonomia, que só voltam ao de cima com as reformas liberalizantes do secretário geral do Partido comunista, Alexandre Dubcek, um eslavo.

1968 – A Invasão soviética põe fim a essse período, denominado “Primavera de Praga”.

1989 – Checos e eslovacos participam na Revolução de Veludo, assim chamada pela maneira suave como decorreram o derrube do regime e o restabelecimento da democracia.

1990 – Os principais líderes da Eslováquia começam a reivindicar mais autonomia. A Assembleia Federal altera o nome do país para República Federal Checa e Eslovaca e Vaclav Havel é eleito para um segundo mandado de dois anos. As tensões relativamente à questão da autoridade do Governo federal sobre os Governos das duas regiões continuam.

1992 – Vladimir Meciar, um partidário da separação, vence as eleições e é interpretado como um voto pelo fim da Checoslováquia.

Independência:
1993 – No dia 1 de Janeiro, é criada a República da Eslováquia, independente pela primeira vez havia treze séculos. Economicamente, as coisas foram mais duras para a Eslováquia, país com menos recursos. A República Checa e a Eslováquia assinaram acordos que estabelecem uma união aduaneira, bem como uma total liberdade de circulação de capitais e bens.

Comentários

O seu endereço de email não será publicado.