Emiratos Árabes Unidos

Emirados Árabes Unidos são um país árabe localizado no Golfo Pérsico, formados por uma confederação de monarquias árabes, cada uma detendo sua soberania, chamadas emiratos. Estão situados na Península Arábica e fazem fronteira com Omã e Arábia Saudita. Os 7 Emiratos são: Abu Dhabi, Dubai, Sharjah, Ajman, Umm al-Quwain, Ras al-Khaimah e Fujairah. A capital e a segunda maior cidade dos Emirados Árabes Unidos é Abu Dhabi.

Dubai é a maior cidade e capital do Emirato com o mesmo nome que é o mais populoso dos 7 Emiratos com aproximadamente 2,262 milhões de habitantes. Existem registos da existência da cidade pelo menos 150 anos antes da formação dos EAU. Dubai tem sido governado pela dinastia Al Maktoum desde 1833. O atual governante do Dubai, Mohammed bin Rashid Al Maktoum é também o primeiro-ministro e vice-presidente dos Emiratos Árabes Unidos.

A receita do emirato actualmente é proveniente do turismo, do comércio, do sector imobiliário e dos serviços financeiros. As receitas do petróleo e gás natural contribuem com menos de 6% (2006) do PIB. Dubai tem atraído a atenção mundial por seus projetos imobiliários e acontecimentos desportivos. O Aeroporto do Dubai também tem ganho ano após ano uma importância mundial no tráfego de passageiros e carga entre o ocidente e o oriente, sendo actualmente um dos maiores do mundo, também catapultado pela companhia área de bandeira a Fly Emirates.

O turismo no Dubai é muito suportado no comércio através dos seus modernos e gigantes centros comerciais, com destaque para o Dubai Mall, o maior do mundo que contém por exemplo no interior um aquário gigante. Os seus megalómonos projectos imobiliários também têm levado o Dubai para a ribalta do turismo mundial: Palm Islands são três arquipélagos artificiais no formato de palmeiras. The World é um arquipélago artificial ainda em construção que forma o desenho do Mapa Mundo. Estas ilhas estão a ser vendidas com valores entre 6,2 a 36,7 milhões de dólares. Burj Al Arab é um dos hotéis mais luxuosos do mundo com 321 metros de altura e construído numa ilha artificial, sendo um dos cartões postais da cidade. Burj Khalifa é o mais alto edifício do mundo com 828 metros, tendo sido inaugurado em 2010.

O Dubai também é conhecido pelos souks tradicionais nas duas margens do Dubai Creek, por exemplo, o Gold Souk em Deira tem mais de 250 ourivesarias. Dubai Creek é a artéria fluvial no centro mais antigo da cidade e onde se iniciou a sua fundação, desde o tempo dos pescadores. Neste pequeno rio, os barcos dhows mantém as tradições de transporte marítimo. A Grande Mesquita (a mais antiga) do Dubai e o Museu do Dubai ficam nesta área.


Geografia

O sistema político dos Emirados Árabes Unidos é baseado na Constituição de 1971. O islamismo é a religião oficial e o árabe a língua oficial.

Os Emirados Árabes Unidos têm a sexta maior reserva de petróleo do mundo e possuem uma das mais desenvolvidas economias do Médio Oriente, sendo um dos países mais ricos do mundo em termos de rendimento per capita.

A área total dos EAU é de aproximadamente 77700 km2. O maior emirato, Abu Dhabi, constitui 87% da área total dos EAU. A população é de 9,2 milhões de habitantes.

O maior porto natural está em Dubai, embora outros portos tenham sido dragados em Abu Dhabi, Sharjah e outros.

A exploração de petróleo atraiu um grande número de estrangeiros para o país. Como resultado, menos de 50% da população dos Emirados Árabes são árabes. Há grupos de trabalhadores indianos, paquistaneses, iranianos e sul-asiáticos.

História

A habitação humana mais antiga dos Emirados Árabes Unidos data do período neolítico. Por volta do primeiro século d.C., o tráfico terrestre entre a Síria e cidades do sul do Iraque começou, seguido pela viagem marítima ao importante porto de Omana e, daí para a Índia, sendo uma alternativa para a rota do Mar Vermelho usada pelos romanos.

A chegada dos enviados do profeta Maomé em 630, anunciava a conversão da religião para o Islão. Após a morte de Maomé, uma das maiores batalhas das Guerras da Apostasia foi travada em Dibba, resultando na derrota dos não-muçulmanos e o triunfo do Islão na Península Arábica.

A expansão portuguesa pelo Oceano Índico, no início do século XVI, seguindo a rota de exploração do navegador Vasco da Gama, presenciou a batalha dos Turco-otomanos pela costa do Golfo Pérsico. Os portugueses controlaram esta área durante cerca de 150 anos, conquistando assim, os habitantes da Península Arábica. Vasco da Gama foi ajudado por Ahmad Ibn Majid, um navegador e cartógrafo árabe de Julfar, a encontrar a rota das especiarias da Ásia.

Em seguida, algumas partes da nação caíram perante à influência direta do Império Otomano durante o século XVI. Posteriormente, a região ficou conhecida pelos britânicos como a “Costa Pirata”, por causa de invasores que ali se concentravam que assediaram o setor marítimo, apesar de tanto navios europeus quanto árabes patrulharem a área do século XVII ao século XIX. Expedições britânicas para proteger o comércio indiano de invasores de Ras al-Khaimah levaram a campanhas contra estas sedes e outros portos ao longo da costa em 1819. No ano seguinte, um tratado de paz foi assinado, ao qual todos os sheiks aderiram. As invasões continuaram de forma intermitente até 1835, quando os sheiks não concordaram em participar das hostilidades do mar. Em 1853, assinaram um tratado com o Reino Unido, sob qual concordaram com uma “trégua marítima perpétua”.

Principalmente em reação à ambição de outros países europeus, o Reino Unido e os Sheiks da Trégua estabeleceram vínculos mais próximos em um tratado, em 1892, semelhante a outros tratados assinados entre o Reino Unido e outros principados do Golfo Pérsico. Os Sheiks não concordaram em ceder qualquer território, exceto ao Reino Unido, e não estabelecer relações com qualquer governo estrangeiro, que não fosse o RU, sem seu consentimento. Em troca, os ingleses prometeram proteger a Costa da Trégua de qualquer agressão marítima e ajudar em caso de ataque terrestre. Durante o século XIX e o início do século XX, a indústria de pérolas prosperou, proporcionando renda e emprego para o povo do Golfo Pérsico até às Guerras Mundias do século XX que levaram ao declínio.

No início da década de 1930, a primeira empresa petrolífera dos EAU realizou inquéritos preliminares e então, o primeiro carregamento de petróleo bruto foi exportado de Abu Dhabi em 1962. Como aumento das receitas do petróleo, o Governador de Abu Dhabi, o Sheik Zayed bin Sultan Al Nahyan, empreendeu um programa de construções, construindo escolas, moradias, hospitais e rodovias. Quando as exportações de petróleo de Dubai começaram, em 1969, o Sheik Rashid bin Saeed Al Maktoum, governante de Dubai de facto, também foi capaz de utilizar as reservas de petróleo para melhorar a qualidade de vida da população.

Em 1968, o Reino Unido anunciou sua decisão, reafirmada em março de 1971, de dar um fim às relações com os sete Emiratos da Trégua que estiveram sob protecção britânica, juntamente com o Bahrain e o Qatar. Os nove tentaram formar uma união de emiratos árabes, porém em meados de 1971 eles ainda eram incapazes de concordar em termos de união, mesmo que as relações britânicas expirariam em dezembro daquele ano. Bahrain tornou-se independente em Agosto, e Qatar em setembro de 1971. Quando o tratado da Trégua expirou em 1 de Dezembro de 1971, os sete estados que ainda não haviam declarado suas independências acabaram se tornando independentes juntos, como um país único. Os mandantes de Abu Dhabi e Dubai formaram uma união entre seus dois emirados independentes, prepararam uma constituição e chamaram os mandantes dos outros cinco emirados para uma reunião e ofereceram-lhes uma oportunidade de participar deste novo país. Também foi acordado entre os dois que a constituição seria escrita. Nesta data, no Palácio Guesthouse de Dubai, quatro outros emirados concordaram em entrar em uma união que se chamaria Emirados Árabes Unidos.

Em 2 de novembro de 2004, o primeiro presidente dos EAU, Sheik Zayed bin Sultan Al Nahayan faleceu. Seu filho mais velho, Sheik Khalifa bin Zayed Al Nahayan, sucedeu-o como governador de Abu Dhabi. De acordo com a constituição, o Supremo Conselho de Governadores dos EAU elegeu Khalifa como presidente e o Sheik Mohammed bin Rashid Al Maktoum do Dubai como primeiro-ministro do país em 2006, após a morte de seu pai. Estes dois emiratos mais importantes mantém estes dois cargos institucionais de acordo com a constituição.

Comentários

O seu endereço de email não será publicado.