2018

Março Suiça
Bettmeralp, Zurique

Julho Vietname – Cambodja
Hanói, Halong Bay, Lang Co, Hué, Danang, Hoi An, Cham Island, Siem Reap, Angkor, Kampong Phluk


Resumo de 2018 >> início da página e galeria

Março Suiça
Bettmeralp, Zurique

mapa1

 

 

 

 

 

 

 

25/03 – Lisboa – Bettmeralp
O Bernardo jogou a primeira parte do jogo do Campeonato de Juvenis em Alverca, pelo Lourel e até marcou um golo de penálti. No intervalo fomos para o aeroporto e partimos num voo da TAP às 15:00 que chegou às 18:25 a Genebra. Apanhámos o primeiro comboio para Brig no cantão de Valais. O percurso foi pela margem norte do Lago de Genebra e pelo vale do Rio Ródano. Em Brig apanhámos um táxi para Betten onde ainda fomos a tempo de apanhar um dos últimos teleféricos para Bettmeralp perto das 22:00. Bettmeralp é uma estância de ski onde não há carros. No entanto, no topo faltavam somente uns 200 metros a caminhar na neve fresca até ao nosso apartamento estúdio no quarto andar do edífcio Topas, na rua principal. Perto das 23:00 ainda fomos ao encontro dos nossos amigos que estavam a outros tantos 200 metros de nós, mais para baixo na encosta.

26/03 – Bettmeralp
Andámos a esquiar todo o dia maioritariamente nas pistas de Riederalp, onde passámos na pista panorâmica que permite uma vista incrível para o maior glaciar dos Alpes, o Aletsch. Também em Bettmeralp. Almoçámos no restaurante panorâmico de Bettmerhorn numa altitude de 2647 m.

2018_suica01

27/03 – Bettmeralp
Esquiámos novamente em Riederalp com o Glaciar Aletsch aos nossos pés. Passámos para as pistas de Bettmeralp e almoçámos no Restaurante Battmer-Hitta.

2018_suica02

28/03 – Bettmeralp
Mais um dia de ski desta feita com mais tempo passado nas pistas de Fiescheralp, o extremo leste da estância. Ao fim da tarde aproveitámos para passar algum tempo na Piscina de Bettmeralp.

29/03 – Bettmeralp
Cada vez mais conhecedores do mapa da estância, esquiámos um pouco por todo o lado, num dia com mais nevoeiro. O sol apareceu um pouco ao fim da tarde e os miúdos andaram a divertir-se com os tobogans. 

2018_suica03

30/03 – Bettmeralp
Com um bonito sol de manhã, no último dia de ski voltámos a Riederalp para nos despedirmos da fantástica visão do Glaciar Aletsch. Acabámos a tarde em Fiescheralp para que os mais corajosos – o Bernardo, Miguel e Rui – subissem ao ponto mais alto da estância, o Eggishorn (2926 m), para descer pela pista preta mais temível, não muito inclinada mas muito estreita, mas que oferece uma vista superlativa para o Glaciar Aletsch. Tudo acabou bem numa belíssima semana de ski nos Alpes Suiços. Fomos jantar à melhor pizzaria de Bettmeralp.

31/03 – Bettmeralp – Zurique – Lisboa
mapa2

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Durante a última noite nevou como nunca, talvez 1 metro de altura de neve. Era o dia da partida e logo de manhã descemos no muito concorrido e com grande capacidade teleférico. Em Betten Talstation apanhámos o comboio de montanha para Brig onde apanhámos o comboio para Berna que atravessou o Túnel Lotschberg (14,6 km) até chegar ao Lago de Thun.

2018_suica04

Em Berna mudámos de comboio e chegámos a Zurique perto das 14:00. De Hauptbanhof começámos a caminhada pelo centro histórico passando no miradouro de Lindenhof e descendo para as pequenas ruas históricas junto ao Rio Limmat. Visitámos as igrejas Peterkirche e Fraumunster. Atravessámos o rio para visitar a Catedral Grossmunster. Seguimos pela Oberdorfstrasse até chegar à Opera e ao Lago de Zurique. Daí voltámos pela Munstergasse até chegar novamente à estação central onde apanhámos o comboio para o aeroporto. Apanhámos o voo da Easyjet às 19:25 para Lisboa onde chegámos às 21:20. 

2018_suica05


Resumo de 2018 >> início da página e galeria

Julho Vietname – Cambodja
Hanói, Halong Bay, Lang Co, Hué, Danang, Hoi An, Cham Island, Siem Reap, Angkor, Kampong Phluk

20/07 – Lisboa – Hanoi
Partimos de Lisboa num voo da Emirates às 14:15 com destino ao Dubai. Após um aescala de 3 horas partimos novamente na Emirates para Hanói onde chegámos às 13:15 do dia seguinte.

mapa3_1

 

 

 

 

 

 

 

 

21/07 – Hanói

mapa3_2

 

 

 

 

 

 

 

 

Após resolver os formalismos dos vistos saímos do aeroporto onde nos aguardava uma carrinha reservado pelo hotel. Num dia cinzento chegámos ao Hotel May de Ville Old Quarter cerca de 45 minutos depois. Este hotel era bem no centro do Old Quarter de Hanói. Assim após a longa viagem e o jet lag, alguns ficaram no hotel e na agradável piscina do último piso e outros foram explorar um pouco a cidade. Andámos junto ao Lago Hoan Kiem que parece ser o centro onde tudo acontece nesta cidade. 

2018_viet_hanoi01

22/07 – Hanói – Halong Bay

mapa4

 

 

 

 

Num dia mais bonito de sol saímos cerca das 9:00 numa carrinha em direcção a Halong Bay. Pela nova auto-estrada que liga Hanói a Haiphong é um percurso de 2 horas em 140 km. Esperámos um pouco na lounge da companhia de cruzeiros Azalea até embarcar numa balsa no cais de Ben Pha Got perto das 12:00. Em pouco tempo chegámos ao barco de cruzeiro da Azalea onde fomos muito bem recebidos e avançámos para a sala principal para almoçar.

2018_viet_halong01

O barco foi progredindo por Halong Bay durante a tarde até ancorarmos. A balsa do barco levou quem quis até aos cais Ben Pha Gia Luan no norte da ilha de Cat Ba para visitarmos a Gruta Trung Trang no Parque Nacional de Cat Ba. Voltámos ao cruzeiro para seguir mais um pouco e apanhar uma meia-hora de uma forte chuvada tropical.

2018_viet_halong02

Mais tarde apanhámos um pôr-de-sol inesquecível com um mergulho fantástico já em Lan Ha Bay. Depois do mergulho veio a happy hour com coloridos cocktails e o jantar.

2018_viet_halong03

23/07 – Halong Bay – Hanói
De manhã o dia começou ao nascer do sol para uma aula de Tai-chi.

2018_viet_halong04

Pouco depois alguns de nós partimos na balsa em direcção à enseada de Ao Ech para um passeio de caiaque de uma hora.

2018_viet_halong05

Já faltava pouco para o fim do cruzeiro e após um brunch final desfrutámos da paisagem antes da chegada.

2018_viet_halong06

Quando chegámos o nosso motorista deixou a chave dentro da carrinha trancada, mas após um trabalho de equipa vietnamita conseguiram abrir a carrinha e voltámos para Hanói onde chegámos cerca das 15:00 à nossa base no Hotel May de Ville Old Quarter. Partimos imediatamente para explorar novamente as ruas do formidável Old Quarter de Hanói. No final da tarde ainda relaxámos na piscina do hotel.

2018_viet_hanoi02

Às 20:00 fomos ver o espetáculo de uma hora do Water Puppet Show que é uma arte tradicional de Hanói. Depois festejámos o aniversário do Nuno num restaurante num terraço na primeira linha de edifícios junto ao Lago Hoan Kiem. A comida era boa e a vista fantástica.

2018_viet_hanoi03

24/07 – Hanói – Lang Co
Para as últimas horas em Hanói alugámos dois tuk-tuks para explorar o Feench Quarter. Esta zona era um pouco afastada do Old Quarter e com avenidas largas e extensas, foi a melhor forma de a conhecer em pouco tempo. Passámos por vários edifícios colonais muito elegantes incluindo hotéis, embaixadas, até chegar ao auge do bonito edifício da Ópera. Terminámos o percurso na Catedral de São José católica. Depois da visita caminhámos junto ao Lago Hoan Kiem até ao hotel onde ainda aproveitámos a piscina um pouco.

2018_viet_hanoi04

Partimos numa carrinha reservada no hotel para o aeroporto onde apanhámos um voo da VietJet às 14:55 para Danang onde chegou às 16:10. Almoçámos no aeroporto.

Em Danang estava uma carrinha à nossa espera que nos levou pelo túnel de 6 km Hai Van até ao fantástico Lang Co Beach Resort na bonita praia de Lang Co a norte de Danang. Desfrutámos da bonita praia rodeada de montanhas até ao pôr-de-sol. Jantámos no hotel.

25/07 – Hué – Lang Co
Ainda sob influência da diferença de fuso horário, a maior parte de nós saiu da cama às 5:30 para ver o nascer do sol no horizonte da praia e para começar o dia abençoado pelo oceano.

2018_viet_langhue01

ÀS 8:30 estava marcada a partida para uma visita a Hué, o que aconteceu depois do pequeno-almoço. O nosso frenético motorista Tinh não parava de buzinar. Também não falava inglês pelo que o google translator do seu telemóvel foi uma grande ajuda. Hué ficava a cerca de 70 km onde chegámos uma hora depois e apanhámos a nossa guia Ana. Iniciámos a visita à Cidade Imperial de Hué que foi a capital do Vietname entre 1802 e 1945.

2018_viet_langhue02

Com as explicações da Ana passámos pelos edifícios principais do complexo durante umas 2 / 3 horas.

2018_viet_langhue03

2018_viet_langhue04

2018_viet_langhue05

Fomos almoçar e seguimos para o Túmulo do Rei Khai Dinh da Dinastia Nguyen. Este bonito local tinha enormes escadarias que culminavam no túmulo do rei, uma sala com bonitos mosaicos.

2018_viet_langhue06

2018_viet_langhue07

Seguimos para o Pagode Thien Mu com uma elegante torre de 7 pisos. Visitámos o pagode e fomos para o cais onde apanhámos um barco que nos levou ao centro de Hué pelo Rio Perfume. Voltámos para Lang Co e aproveitámos a praia ao fim da tarde e um pouco da grande piscina.

2018_viet_langhue08

Jantámos no restaurante Be Than, junto à lagoa, especializado em peixe. 

26/07 – Lang Co – Hai Van Pass – Hoi An
No dia em que seguiríamos para sul aproveitámos a praia de manhã.

2018_viet_langhue09

Almoçámos no hotel e seguimos novamente com o Tinh para Danang, desta feita pela impressionante estrada de montanha até hai Van Pass. Aqui parámos para ver a vista e os famosos bunkers americanos e franceses.

2018_viet_langhue10

Depois de atravessar Danang e percorrer toda a baía de “China Beach” chegámos à praia de An Bang perto de Hoi An. Por tentativa e erro lá conseguimos encontrar o nosso pequeno hotel, o An Bang Gold Coast Villa. Aqui ficaríamos 5 noites. Logo que chegámos a anfitriã (alemã) do hotel indicou-nos o festival da Lua cheia em Hoi An para onde partimos ao jantar. De táxi eram apenas 5 km e 100.000 dongs. Jantámos muito bem no restaurante Rice Drum na rua Nguyen Thai Hoc. Demos um passeio pelo Night Market e voltámos para o hotel

mapa5

 

 

 

 

 

 

 

27/07 – An Bang – Hoi An
Neste dia tirámos a manhã para relaxar na bonita e tranquila praia de An Bang. Almoçámos no hotel, o que viríamos a fazer quase todos os dias. Encomendávamos os pratos e o simpático anfitrião Lloyd do País de Gales lá ia na sua mota buscar a comida ao restaurante. À tarde voltámos a Hoi An para apreciar a cidade à luz do dia. Desde a Ponte Japonesa até ao terraço do Faifo Coffee e terminando na saída oeste do centro histórico junto ao Rio Thu Bon, saboreámos a atmosfera cosmopolita e asiático desta cidade antiga. Jantámos na Praia de An Bang no fantástico restaurante An bang Beach Village do nosso amigo Dong cuja tradição gastronómica já vinha de família.

2018_viet_hoida01

28/07 – An Bang – Danang
De manhá ficámos na praia de An Bang, almoçámos no hotel e à tarde fomos na tour do guia Ken com o objectivo de visitar Marble Mountains, Lady Budha e Danang. Partimos às 15:00 numa carrinha igual às outras que nos tinham transportado. Parámos nas Marble Mountains, não muito longe de An Bang, e tivemos que visitar uma loja de mármores que vendia budhas de todos os formatos e tamanhos em mármore. Subimos num moderno elevador à montanha Thuy (dos 5 elementos, a da água). Atrás do Ken e das suas explicações (e ralhetes à nossa indisciplina) seguimos para o Pagode Linh Ung. Visitámos grutas imponentes com altares impressionantes tanto hindus como budistas. Passámos também por um miradouro que permitia ver os bairros em redor das montanhas e o mar.

2018_viet_hoida02

2018_viet_hoida03

Voltámos à carrinha e percorremos a avenida marginal de Danang até entrar na península de Son Tra e iniciar a visita ao complexo de Lady Budha.

2018_viet_hoida04

Aqui tentámos seguir o Ken e as suas explicações com maior disciplina. Visitámos o Pagode Linh Ung e o enorme pátio junto à enorme estátua de Lady Budha. No limite do patio há um portal que dá acesso a um miradouro de onde se avista a cidade de Danang.

2018_viet_hoida05

2018_viet_hoida06

Depois da visita seguimos para um restaurante em Danang, passando por uma pizzaria para levar uma pizza para a Madalena, onde o jantar estava incluído e um show de música e dança local. Depois do jantar fomos para a última paragem tentando apanhar um bom local para ver o espetáculo da Ponte Dragão que, às 21:00, cuspiria fogo e água. Voltámos ao hotel em An Bang.

2018_viet_hoida07

29/07 – An Bang – Hoi An
Continuámos a tradição de ficar a desfrutar da praia de An Bang de manhã e também da agradável pequena piscina do hotel.

2018_viet_hoida08

2018_viet_hoida09

Almoçámos no hotel e à tarde fomos novamente a Hoi An. Era fácil, pedíamos dois táxis ao Lloyd e pagavámos 100.000 dongs (cerca de 4 dólares) em cada. Voltámos aos locais que já nos pareciam familiares há muito tempo, a ponte japonesa, a rua principal e a sua paralela.

2018_viet_hoida10

Fomos jantar ao famoso Morning Glory cuja entrada ficava muito colorida com todas as lanternas e as pessoas de todos os tipos a passear na rua tentando envitar os riquexós individuais que passavam.

2018_viet_hoida11

Para terminar o dia, com tantas ofertas e insistências para um passeio de barco “do û wan’a bô rai?” de 15 minutos, lá acedemos e fomos em dois barcos lançar as velas ao rio com a promessa de um desejo cumprido conforme a tradição de Hoi An.

2018_viet_hoida12

30/07 – Cham Island
Neste dia fazia anos a Filipa e por isso partimos às 8:30 para um dia fantástico na Cham Island. Fomos numa carrinha para o cais de Cua Dai, a uns 10 minutos de An Bang. Esperávamos um barco turístico de dois decks mas ao caminhar pelo cais o barco não aparecia. Passámos uma vedação e vimos o enorme veleiro que nos levaria durante todo o dia. O nosso anfitrião francês da Bretanha era um bon vivant muito simpático e divertido.

2018_viet_hoida13

Após uma hora de navegação chegámos ao primeiro sítio onde faríamos snorkeling nos corais ao largo da ilha. Partimos para outro sítio de snorkeling e mais outro. O objectivo do experiente francês era chegar à praia onde iríamos almoçar quando todos os outros turistas já estivessem de saída.

2018_viet_hoida14

E assim foi, depois uma barrigada de snorkeling fantástica chegámos à praia de Bai Chong na Cham Island onde o almoço já nos esperava numa magnífica sombra da frondosa floresta que cobria a ilha.

2018_viet_hoida15

Depois do almoço e de uns mergulhos na praia voltámos ao continente num bonito passeio que deu até para desligar o motor e velejar durante um bocado. À chegada a Cua Dai vimos o grande movimento dos barcos de pesca a recolher as redes ou a regressar a algum lugar.

2018_viet_hoida16 

Chegámos à praia de An Bang cerca das 17:30 e ainda deu para ver um fantástico pôr-de-sol na praia observando os locais que preferem esta hora. À noite o nosso amigo Dong do restaurante ao virar da esquina preparou um inesquecível jantar de aniversário da Filipa na areia da praia, com tochas e tudo. Voltámos a saborear as excelentes vieiras e o peixe local assado na folha de bananeira. Naquele ambiente foi inevitável dar um mergulho no mar na noite escura de An Bang Beach.

31/07 – Hoi An – Danang – Siem Reap
Último dia no Vietname, ficámos a relaxar na praia de An Bang.

2018_viet_hoida17

Almoçámos no hotel como habitualmente e perto das 15:00 partimos para o aeroporto de Danang.

2018_viet_hoida18

Às 18:15 apanhámos um voo de duas horas da Cambodia Angkor Air num avião a hélice. Chegámos perto das 20:30 a Siem Reap. No aeroporto, os formalismos de entrada no Cambodja foram muito mais simples e rápidos que à chegada ao Vietname. O aeroporto era bonito e moderno. À nossa espera estava uma inesperada recepção do pessoal do nosso hotel que nos recebeu com simpatia, cachecóis de boas vindas e bebidas frescas. Em pouco tempo chegámos ao fantástico Hotel Golden Temple Villa em Siem Reap. Mais um grande recepção no hotel com um cocktail e um jantar de cortesia que já estava combinado.

01/08 – Angkor
Para o primeiro dia de visita a Angkor, estava combinada a partida às 4:30 para ver o nascer do sol em Angkor Wat. Para não sujeitar a pequena Madalena a este horário, os seus pais ficaram no hotel e juntar-se-iam mais tarde ao grupo que tinha partido com o excelente e simpático guia Chong. Levaram snacks oferecidos pelo hotel e viram o famoso nascer-do-sol.

2018_viet_camb01

Às 8:00 partimos para nos juntar ao grupo à entrada de Angkor Wat. Visitámos o imponente templo, os seus corredores, altares budistas e baixos relevos hindus e registámos a presença no que era o centro do universo para os khmers.

2018_viet_camb02

No centro do templo subimos ao nível superior de onde se pode ter uma vista bonita em redor.

2018_viet_camb03

Saímos de Angkor Wat pelo lado oposto.

2018_viet_camb04

E tivemos um encontro imediato com um habitante local que nos roubou as bananas.

2018_viet_camb05

Daqui fomos para um restaurante onde experimentámos pela primeira vez o amok, o prato khmer mais conhecido. Depois do almoço seguimos para o famoso templo “Tomb Rider”, Ta Phrom no seu nome original.

2018_viet_camb06

Aqui sentimo-nos verdadeiros Indiana Jones ao explorar este templo em ruinas que foi absorvido pela selva e por raízes gigantes de árvores imensas.

2018_viet_camb07

Do Ta Phrom seguimos para o interior da antiga cidade imperial de Angkor Thom para visitar o impressionante templo Bayon, construído pelo rei khmer favorito, Jayavarman VII.

2018_viet_camb08

2018_viet_camb09

Finalmente, perto das 17:00 voltámos para o hotel onde relaxámos na piscina com uns valentes cocktails khmers (khmer passion) na happy hour. Com o cansaço do dia, para alguns desde o nascer-do-sol, decidimos jantar no hotel.

02/08 – Kampong Phluk – Siem Reap
O plano neste dia era visitar uma aldeia no lago Tonlé Sap. Partimos às 9:00 novamente com o guia Chong e percorremos uns 30 km até chegar a um ponto onde apanhámos um barco. Nesta época das chuvas a estrada já estaria intransitável com as inundações. Não estava, mas seguimos no barco até à aldeia de Kampong Phluk cujas casas estão construídas em estacas de madeira de 6 a 8 metros. As ruas são agora canais e toda a população de movimenta de barco.

2018_viet_camb10

Chegámos ao lago Tonlé Sap que é tão grande que não se vê a outra margem, mas estava muito agitado, parecia o alto mar. Voltámos logo para trás e fomos caminhar um pouco numa passadeira área por entre as copas das árvores.

2018_viet_camb11

Fizemos o caminho inverso de barco através da aldeia e voltámos a Siem Reap a tempo de almoçar.

2018_viet_camb12

No hotel apanhámos tuk-tuks para a central Pub Street e almoçámos no famoso restaurante Red Piano. Os miudos foram fazer umas tatuagens com um significado muito espiritual (“mota”) em escrita khmer.

2018_viet_camb13

Voltámos para o hotel de tuk-tuk para desfrutar da piscina à tarde.

2018_viet_camb14

Ao fim da tarde ainda aluguei uma bicicleta uma hora e dei a volta à cidade, passando pela Templo budista principal e a Residência Real. À noite voltámos de tuk-tuk a Pub Street para o último jantar com os Pachecos que seguiriam no dia seguinte para a Tailândia.

2018_viet_camb15

03/08 – Angor – Siem Reap
No último dia de férias tinhamos planeada uma segunda visita ao complexo arqueológico de Angkor, novamente com o nosso guia favorito Chong. Eu e a Cristina fomos às 4:30 para ver o nascer-do-sol em Angkor Wat.

2018_viet_camb16

Voltámos na carrinha ao hotel e tomámos o pequeno-almoço. Voltámos todos para Angkor onde começámos a visita no templo-montanha Phnom Bakheng. Deste templo fundador da capital khmer se vê de cima Angkor Wat.

2018_viet_camb17

2018_viet_camb17

Daqui continuámos pelas longas estradas de Angkor até atravessar o portão norte de Angkor Thom.

2018_viet_camb19

2018_viet_camb20

Continuámos para visitar o templo de Preah Khan e o crematório de Pre Rup. 

2018_viet_camb21

Terminámos a visita no templo de Neak Pean com as suas 5 piscinas curadouras. Passámos na frente de Angkor Wat para uma última visão deste enquadramento deslumbrante.

2018_viet_camb22

E voltámos para Siem Reap onde almoçámos perto do hotel. À tarde demos uma volta pela cidade para fazer as últimas compras de souvenirs e voltámos para o hotel para fazer a massagem de cortesia e desfrutar um pouco da agradável piscina, novamente ao sabor dos cocktails khmers. À noite saímos num tuk-tuk para ir jantar a Pub Street e acabámos por repetir os excelentes pratos do Red Piano.

2018_viet_camb23

04/08 – Siem Reap – Lisboa
No dia da partida, ficámos na piscina de manhã e almoçámos perto do hotel. À tarde fizemos nova massagem khmer no hotel e preparámos tudo para a partida. Já era noite e caiu uma valente chuvada mas partimos para o aeroporto após uma sentida despedida daquele staff fantástico.

2018_viet_camb24

Jantámos no aeroproto e partimos num voo da Thai Smile às 21:25 para Bangkok. Foi um voo rápido de uma hora. Numa escala de 3 horas em Bangkok tivemos que sair e voltar a entrar na fronteira. O voo da Emirates num Airbus A380 partiu à 1:35 para o Dubai.

05/08 – Dubai – Lisboa
Depois de uma escala de 2:40 partimos em direcção a Lisboa onde chegámos às 12:35. Para fazer uma transição suave esperavam-nos 40 graus em Lisboa.

 

Comentários

O seu endereço de email não será publicado.