2017

Abril Espanha
Serra Nevada 

Julho Inglaterra – Grécia
Londres, Ilha de Corfu

Agosto Açores
Pico, São Jorge, Faial


Resumo de 2017 >> início da página e galeria

Abril Espanha
Serra Nevada

10/04 – Lisboa – Serra Nevada
Partimos de manhã e chegámos ao fim da tarde à Serra Nevada onde ficámos alojados com os nossos amigos no Hostal Yeti. Nunca tínhamos visto a Serra Nevada com tão pouca neve.

11/04 – Serra Nevada
Tivemos a surpreendente visita dos primos e tios que foram estrear-se na neve. Andámos a acompanhá-los na zona de “debutantes”. No fim do dia jantámos todos juntos.

2017_01

12/04 – Serra Nevada
Apesar de parecer ter pouco neve quando vista de Pradollano, a Serra tinha neve suficiente para podermos esquiar por toda a estância, incluindo a zona da Laguna.

13/04 – Serra Nevada
Mais um dia de ski à procura das melhores pistas.

14/04 – Serra Nevada
Depois do último dia de ski, partimos para casa onde chegámos já de noite.


Resumo de 2017 >> início da página e galeria

Julho Inglaterra – Grécia
Londres, Ilha de Corfu

2017_mapa1

01/07 – Lisboa – Londres
Partimos de Lisboa num vôo da TAP para Londres onde chegámos às 22:00 a Heathrow. Não longe do aeroporto, ficámos hospedados em casa da Mary em Twinckenham (Cambridge Road).

02/07 – Londres
Neste belo domingo de sol, aproveitámos para passear como os londrinos pela zona de Richmond. Saímos a pé de Cambridge Road em direcção à Ponte de Richmond que atravessámos. Seguimos junto ao rio na margem oriental pelo passeio. Mais à frente entrámos nos bonitos Terrace Gardens. Subimos ao topo até ao miradouro. Almoçámos no jardim, no Hollyhock Cafe. Voltámos para trás até ao Richmond St. Helena Pier onde comemos um gelado enquanto esperámos pelos Moore. Continuámos a pé pelo Riverside até à Ponte de Twickenham. Voltámos e entrámos em Richmond até ao grande relvado Richmond Green onde bebemos uma “pint” de “ale” antes de voltar para casa, passando ainda por um parque infantil. A Mary fez-nos jantar.

2017_022017_03

03/07 – Londres
Saímos de casa da Mary de manhã para apanhar o metro em Richmond até St. James park. Começámos a visita ao centro de Londres pela Westminster Abbey. Depois seguimos para Parliamente Square e atravessámos a Westminster Bridge até ao famoso miradouro em frente ao parlamento. Almoçámos no restaurante Westminster Kitchen Grill House e voltámos para a outra margem onde subimos a rua Whitehall, passando por Downing Street. Chegámos a Trafalgar Square e continuámos até Piccadilly Circus. Apanhámos o metro para Richmond a tempo de mais um jantar que a Mary nos fez. Ficámos no jardim a brincar no trampolim.

2017_04

04/07 – Londres
Caminhámos com a Mary até à próxima Sandycoombe Road onde a minha mãe tinha vivido 51 anos antes no número 34. Voltámos para casa e a Mary levou-nos com as malas até à estação de Richmond onde apanhámos o metro para Whitechapel. Ficámos alojados no Hotel Ibis Budget Whitechapel. Apanhámos o metro para St. Paul’s e visitámos a Catedral de St.Paul’s. Subimos à cúpula para ums vista soberba para todo o centro de Londres. De seguida apanhámos um autocarro para Coventry Garden onde assistimos a animação de rua. Jantámos no Thank God It’s Friday em Leicester Square. Passeámos pelo Soho e Chinatown e voltámos de metro para o hotel.

2017_05

05/07 – Londres
Saímos para o apanhar o metro até Embankment para assistir à mudança da guarda a cavalo em Horse Guards Parade. Atravessámos o rio na Golden Jubilee Bridge para iniciar o Queen’s Walk na margem sul. Passámos por Gabriel’s Wharf e fomos almoçar no 6º piso do Tate Modern com uma vista fantástica. Atravessámos a Millenium Bridge e voltámos para continuar o passeio junto ao rio pela margem sul. Passámos pelo Shakespeare’s Globe Theatre, pelo Golden Hind (réplica da nau de Francis Drake), explorámos um pouco o Borough Market e seguimos pela Southwark Cathedral e a imponente visão do arranha-céus The Shard. Chegámos a Tower Bridge e atravessámos para passar junto à Tower of London pelo Traitor’s Gate. Apanhámos o metro em Tower Hill até Piccadilly Circus. Subimos a Regent Street e fomos às compras ao Hamley’s, a famosa loja de brinquedos. Jantámos em Carnaby Street e voltámos de metro para o hotel em Whitechapel.

2017_06
2017_07
2017_08

06/07 – Londres
Saímos de manhã para Baker Street com o objectivo de visitar o Museu Madame Tussauds de cera. Depois de abraçar todas as grandes celebridades internacionais e andar nuns carrinhos por Londres, seguimos para o British Museum onde explorámos um pouco as galerias mais famosas, como a Arte do Antigo Egipto e as múmias, os templos gregos, a pedra de Rosetta. Ao fim da tarde fomos ao teatro ver a produção da Disney de Aladino no Teatro Prince Edward.

2017_09
2017_10

07/07 – Londres
Fomos de metro para Westminster para subir na London Eye. No London Eye Pier apanhámos um barco que nos levou a Greenwich. À chegada almoçámos logo no cais em Byron Greenwich.  Passámos pelo Cutty Sark e pelo Greenwich Market até entrar no Greenwich Park. Atravessámos o parque até ao Royal Observatory que visitámos. Só não ficámos na fila de chineses à espera para tirar uma fotografia no meridiano, mas tirámos na mesma um pouco mais à frente, pois o meridiano é afinal uma recta. Voltámos para o cais e atravessámos o rio pelo Greenwich Foot Tunnel e estivemos um pouco a relaxar nos Island Gardens. Um pouco depois fomos apanhar o metro de superfície Docklands Light Railway desde Island Gardens até Shadwell onde apanhámos o overground até Shoreditch High Street. Caminhámos por Sclater Street até a Brick Lane, a nova zona da moda no leste de Londres, frequentada sobretudo por indianos, paquistaneses e bangladeshis. Descemos a rua toda até ao restaurante indiano onde jantámos. Continuámos a pé até Whitechapel Road e ao hotel.

2017_11
2017_12
2017_13

08/07 – Londres
Apanhámos o metro para St. James Park para ver a mudança da guarda em Buckingham Palace. Atravessámos depois o Green Park para apanhar o metro até South Kensington. Visitámos o Natural History Museum e depois o Science Museum. Depois entrámos um pouco no Hyde Park e estivemos junto ao Albert Memorial. Seguimos para sul passando pelo Royal Albert Hall até Queen’s Gate. Depois jantámos uma refeição tradicional inglesa de fish’n’chips no Pub Queen’s Arms em Queen’s Gate Mews. Descemos Gloucester Road e apanhámos o metro na estação com o mesmo nome.

2017_14
2017_15

 09/07 – Londres – Corfu
Apanhámos o metro para Marble Arch para assitir ao espectáculo dos “speakers” em Speaker’s Corner no Hyde Park. Fala-se sobretudo de política e religião. Voltámos de metro para o hotel onde um carro da Uber nos apanhou e nos levou à estação de Liverpool Street. Aí apanhámos o Stansted Express para o Aeroporto de Stansted. Por pouco apanhámos o vôo da Ryanair directo para a ilha grega de Corfu às 17:00. Chegámos a Corfu perto das 23:00 (2 horas de diferença). Apanhámos o carro de aluguer na Value Plus e em meia-hora chegámos à nossa villa na Praia de Glyfada na costa ocidental da ilha. À nossa espera estava o simpático anfitrião George e a esposa, numa chegada glamorosa de luzes dentro da casa acompanhadas pela Lua cheia.

2017_mapa2

10/07 – Corfu
Começámos o dia pelo viciante pequeno-almoço na varanda da nossa villa com uma vista maravilhosa para a bonita Praia de Glyfada e um bom pedaço da costa oeste da ilha até à Praia de Agios Gordios. Passámos todo o dia a desfrutar da soberba praia. À noite fomos a Pelekas jantar no Restaurante Pink Panther onde, além da excelente comida grega, há a vista para o mar.

2017_16

11/07 – Corfu
Fomos conhecer a cidade de Corfu, classificada como património mundial pela UNESCO. É caracterizada pelas ruas estreitas herdeiras em grande parte da arquitectura italiana devido aos vários séculos de dependência de Veneza. Começámos a visita pelo Novo Forte que limita a cidade antiga a oeste em contraposição ao Forte Antigo a leste. No entanto os dois são aproximadamente da mesma época, o século XV. No Novo Forte a vista sobre a cidade é soberba. Depois caminhámos pelas ruas do centro, com destaque para a Sinagoga e almoçámos num restaurante típico grego. Chegámos à Spianada, a enorme praça relvada que precede o Forte Antigo e é cercada pelos edifícios de estilo parisience com arcadas da época napoleónica, o Liston. Seguimos pela rua Kapodistriou e visitámos a bonita igreja de cúpula vermelha St. Spyridon onde jaz o santo padroeiro da cidade com o mesmo nome. Voltámos ao carro e à Praia de Glyfada onde passámos o resto da tarde nas águas amenas e límpidas. Jantámos em casa.

2017_17
2017_18

12/07 – Corfu
Saímos de carro depois do pequeno-almoço para explorar o noroeste da ilha. Começámos pela vila de Paleokastritsa com as suas bonidas enseadas. Não ficámos muito tempo porque estava um estranho nevoeiro  que retirava visibilidade da bela paisagem. Subimos a montanha até chegar à Praia de Agios Georgios onde tomámos uns banhos e almoçámos peixe. Voltámos a Glyfada onde passámos o resto do dia. Jantámos em casa.

2017_22

13/07 – Corfu
Começámos o dia a experimentar a piscina do condomínio. Depois do almoço fui com a minha mãe passear um pouco, nesta ocasião fomos até à aldeia de Sinarades que dá acesso a um miradouro fabuloso de onde se pode observar a majestosa Praia de Agios Gordios para um lado e para o outro as praias de Pelekas e Glyfada. Fomos ainda a Pelekas, depois de uma rápida passagem pela sua praia, e subimos ao miradouro “Trono do Kaiser”. Voltámos à praia onde todos passámos o resto da tarde. Ao fim da tarde voltámos todos ao miradouro “Trono do Kaiser” em Pelekas onde o Kaiser Wilhelm II da Alemanha passava bastante tempo no início do século XX. A vista do miradouro é incrível e pode avistar-se toda a ilha a partir daqui, incluindo a cidade de Corfu e mesmo o continente grego. Jantámos em Pelekas no Restaurante Agnes que ficava aquém da fama dos roteiros.

2017_19

14/07 – Corfu
Começámos o dia na piscina e logo fomos para a praia onde o Bernardo e a Carolina embarcaram numa alucinante corrida de bóias puxadas por um barco a motor. Depois do almoço fui novamente com a minha mãe passear um pouco, desta feita para explorar a parte nordeste da ilha. Atravessámos a ilha e começámos o percurso junto ao mar pela baía de Gouvia. Seguimos para Dassia e Ipsos e por fim até à bonita Praia de Barbati. Estas praias contornam o monte mais alto da ilha a 900 m, o Pantokratoras. Voltámos para trás em direcção a Glyfada onde passámos o resto da tarde na praia e para finalizar na piscina. Jantámos em casa, na inesquecível varanda, desta vez com comida recolhida no Restaurante Pink Panther que também tinha um serviço de take-away.

2017_20
2017_21

15/07 – Corfu
Começámos o dia pelo recanto norte da Praia de Glyfada onde a água ainda parecia mais límpida. Devia ser só ilusão mas aproveitámos a ocasião para fazer snorkeling e filmar os peixinhos. Passámos o resto do dia na praia e finalizámos na quente piscina. Fui novamente buscar comida ao Pink Panther para o último jantar na imperdível varanda da nossa villa.

2017_23

16/07 – Corfu – Londres – Lisboa
Partimos para o aeroporto depois do pequeno-almoço onde apanhámos um vôo da Easyjet às 12:20 para o aeroporto de Luton em Londres. Mais tarde apanhámos outro vôo da Easyjet para Lisboa.


Resumo de 2017 >> início da página e galeria

Agosto Açores
Pico, São Jorge, Faial

2017_mapa3

12/08 – Lisboa – Faial – Pico
Partimos às 12:00 num vôo da SATA para o Faial. No aeroporto apanhámos um táxi para a gare marítima da Horta. Às 17:30 apanhámos o barco para a Madalena do Pico onde chegámos em meia-hora. Logo à saída da gare da Madalena encontrámos os Serpas. Apanhámos o carro de aluguer na agência Ilha Verde e seguimos para a casa que alugámos no Lajido de Santa Luzia, a caminho de São Roque. A casa era uma antiga adega construída com as típicas pedras negras vulcânicas. Demos um mergulho no enorme mar em frente à casa com vista para São Jorge. Aprontámo-nos e fomos ter com os nossos amigos à Madalena onde jantámos no Restaurante Taberna do Canal. Depois do jantar, alguns de nós ainda foram às festas na freguesia do Cachorro.

2017_24

13/08 – Pico
Saímos de manhã de casa para encontrar todos os nossos amigos, que finalmente tinham chegado, nas piscinas da Madalena. Em frente desfrutávamos de uma vista fabulosa para o Faial. Almoçámos aqui e logo seguimos de carro para subir ao planalto que fica adjacente à imponente montanha do Pico.  Passámos pela Lagos do Capitão mas o nevoeiro já era tal que mal deu para ver os patos que passeavam a poucos metros. Continuámos pelo planalto até entrar em estradas mais secundárias que no meio do nevoeiro nos permitiam vislumbrar a Lagoa do Caiado e a Lagoa do Peixinho. Descemos finalmente para Santa Bárbara onde à beria da estrada o miradouro permita apreciar toda a baía até à Calheta do Nesquim. Fomos a banhos nas Lajes do Pico e voltámos todos para a Madalena percorrendo a paisagem protegida das Vinhas do Pico. Jantámos no restaurante Parisiana que não foi uma boa experiência. Fomos todos para casa descansar para a dura aventura que íamos iniciar no dia seguinte de madrugada – a subida ao Pico.

"2017_25

14/08 – Pico
Saímos de casa cerca das 6:30 da madrugada, ainda era de noite. Encontrámo-nos com o João Xavier da empresa Caminhando para iniciar os procedimento de registo na Casa de Montanha. Chegámos à cratera do vulcão em cerca de 3 horas e meia, num desnível de 1100 m de altitude. Fizemos aí uma pausa e logo iniciámos o “ataque” ao Piquinho, a elevação que se encontra na cratera e que perfaz os 2351 m de altitude da montanha mais alta de Portugal. Foi mais meia-hora já de mãos no chão por vezes. No topo tirámos algumas fotos para a posteridade. Descemos novamente à cratera e almoçámos. O calor fazia sentir-se apesar da altitude. Na realidade, tendo em conta várias experiências incluindo a minha 20 anos antes, tivemos muita sorte com o dia de sol que apanhámos. Depois de um breve almoço iniciámos o regresso à base onde chegámos cerca das 17:00 também num total de cerca de 4 horas desde o Piquinho. Apesar das muitas mazelas musculares não houve lesões incapacitantes. E as minis à chegada souberam que nem ginjas. A Cristina e a Madalena ficaram na Madalena aproveitando as piscinas. Ao fim da tarde ainda fomos todos a banhos na zona balnear da Criação Velha, uns 5 km a sul da Madalena. À noite fomos todos jantar à festa do Cachorro onde as sardinhas eram oferecidas.

2017_26
2017_27
2017_28

15/08 – Pico – São Jorge
Aproveitámos um pouco a nossa rústica casa e a zona de banhos no mar mesmo em frente. Tirei ainda umas fotos à bonita aldeia do Lajido com as suas casas de pedra vulcânica e as janelas de madeira vermelha. Fomos ter com os nossos amigos à zona balnear da Baía da Barca em frente ao famoso Cella Bar. A bonita piscina em frente ao Faial é um verdadeiro aquário natural com uma grande diversidade de peixes. Almoçámos uns snacks num bar e seguimos para a nossa casa e mais um banho no Lajido. Quando chegou a hora fomos para São Roque onde demos uma volta de carro e o entregámos no cais onde íamos mais tarde apanhar o barco para a ilha de São Jorge. Apanhámos o barco às 19:30 em São Roque que demorou uma hora até Velas em São Jorge. O passeio de barco ao fim da tarde foi fantástico com um pôr-de-sol magnífico e a companhia de golfinhos. Chegámos a Velas onde estava a Gisela à espera que nos iria levar para o seu alojamento onde ficámos, a Aldeia da Encosta, um conjunto de casas no alto da encosta de Velas com uma vista fabulosa para o Pico e o canal que separa as duas ilhas. Apanhámos também o carro de aluguer. Sendo já uma hora tardia para “enfiar” 20 pessoas a jantar num lugar com pouca oferta de restaurantes, indicaram-nos as festas de Rosais onde fomos jantar.

2017_29
2017_30

16/08 – São Jorge
Saímos todos de Velas em vários carros e fizemos a primeira paragem num miradouro na Queimada. Seguimos pela Urzelina e parámos junto a um forte continuando por Manadas até à Fajã das Almas. Neste local maravilhoso assentámos para uns banhos fantásticos nesta linda baía com águas incríveis. Daqui, a maior parte do grupo seguiu até ao Topo, a ponta da ilha, e parou ainda numa queijaria. Eu a Cristina e a Madalena ficámos mais um pouco, o tempo suficiente para encontrar o meu amigo Carlos Valadão, 20 anos depois da primeira subida ao Pico. Saímos em direcção à Calheta e continuámos pela estrada do norte da ilha onde ficam as imponentes fajãs. Começámos pelo miradouro na descida para a Fajã dos Cubres onde se avista também toda a costa norte de São Jorge incluindo a Fajã da Caldeira de Santo Cristo. Daí seguimos para a Fajã do Ouvidor onde fomos ao miradouro e depois descemos para procurar a Poça Simão Dias. Aí estivemos a tomar banho e juntou-se o resto do grupo. Fomos todos jantar um repasto de peixes do mar dos Açores no restaurante Amilcar. Voltámos para casa.

2017_31
2017_32
2017_33
2017_34

17/08 – São Jorge – Faial
Começámos o dia mais cedo para fazer o trilho da Caldeira de Santo Cristo. Fomos deixar um carro na Fajã dos Cubres e seguimos com os outros carros até ao início do trilho que fica para lá da Calheta. Iniciámos o passeio sempre a descer por uma paisagem verde fantástica com o mar ao fundo. Passámos por uma bonita cascata de água fria onde alguns mais corajosos se aventuraram a mergulhar. Continuámos a descer em direcção à Caldeira. Quando chegámos à lagoa tinham passado cerca de 2 horas. Aí fizemos um breve piquenique e tomámos banho, uns na lagoa outros no mar. Logo retomámos a caminhada em direcção à Fajã dos Cubres que demorou cerca de uma hora. Fomos buscar os carros que estavam no início do trilho e voltámos à Fajã dos Cubres. Peguei no Bernardo e na Carolina e fomos directos às piscinas de Velas onde estava a Cristina e a Madalena. Choveu um pouco e fomos jantar umas sandwiches ali junto ao cais. Apanhámos o barco para a Horta às 20:30 que ainda fez uma escala na Madalena do Pico. A viagem demorou quase duas horas. No cais da Horta apanhámos um táxi para o apartamento que alugámos junto à Praia do Porto Pim.

2017_35
2017_36
2017_37
2017_38
2017_39
2017_40

18/08 – Faial
Fui buscar o carro que aluguei no centro da Horta e voltei para o apartmento. Encontrámo-nos com alguns do grupo no Peter’s. Iniciámos o dia subindo à Caldeira. Descemos às piscinas naturais do Varadouro onde almoçámos. Seguimos para o Vulcão dos Capelinhos e o seu Centro de Interpretação muito bem enquadrado. Subimos ao farol e depois descemos junto ao mar. Daqui continuámos a contornar a ilha no sentido dos ponteiros do relógio passando pela Praia do Norte e Cedros para finalmente parar na Praia do Almoxarife para uns banhos prolongados numa praia de areia negra com vista para o Pico. Seguimos para o Miradouro de Espalamaca de onde se pode avistar a Horta e o Monte da Guia. Fomos directos para a Tasca o Capitólio onde tinhamos mesa reservada para jantar no terraço. Fomos ainda ao Peter’s beber alguns gins tónicos. Depois da meia-noite ainda fomos tomar um banho inesquecível na Praia do Porto Pim debaixo de um lindo céu estrelado.

2017_41
2017_42
2017_43

19/08 – Faial – Lisboa
Antes de devolver o carro de aluguer ainda deu uma volta e subi ao miradouro do Monte da Guia de onde se vislumbra a Horta e a baía do Porto Pim. Fomos ainda passar um bocado na Praia do Porto Pim antes de arrumar as malas para ir almoçar ao Peter’s. Acabámos estas férias fantásticas no jardim ao lado do Forte da Horta onde tirámos algumas fotos de família para a posteridade. Apanhámos um táxi para o aeroporto. Às 17:00 apanhámos o vôo da SATA para Ponta Delgada comandado pelo primo da Ana que fez uma razia à cratera do Pico para nosso deleite. Apanhámos depois o vôo de ligação a Lisboa onde chegámos perto da meia-noite.

2017_44
2017_45

Comentários

O seu endereço de email não será publicado.